sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

" O Poder dos Sonhos " Luis Sepúlveda

Através de um conjunto de crónicas, Sepúlveda conduz-nos pelos meandros políticos e sociais de determinadas instituições de poder.

Não obstante o seu belo sonho utópico de um mundo onde impere a fraternidade e a solidariedade, não consegue deixar de transparecer uma atitude dura e preconceituosa perante determinados acontecimentos.

Assim, e se por um lado, demonstra um profundo anti - americanismo ao denunciar " hipotéticas " políticas de financiamento americanas a diversas formas de terrorismo, por outro lado, é-lhe impossível esconder um certo saudosismo nostálgico dos antigos projectos revolucionários chilenos, bem como de Salvador Allende e velhos companheiros das juventudes comunistas !




" Considero-me um sonhador, paguei um preço bastante duro pelos meus sonhos, mas são tão belos, tão plenos e tão intensos que voltaria a pagá-lo uma e outra vez.

Creio que não há sonho mais belo do que o de um mundo onde o pilar fundamental da existência seja a fraternidade, onde as relações humanas sejam sustentadas pela solidariedade, um mundo onde todos compartilhemos da necessidade de justiça social e actuemos com coerência.

Os meus sonhos são irrenunciáveis, são indomáveis, pertinazes, resistentes e desafiam o horror do pesadelo editorial ... "


Luis Sepúlveda in " O Poder dos Sonhos "

Sem comentários: