quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

" Parábola do Cágado Velho " Pepetela

Poderia afirmar que a beleza desta Parábola consiste numa bonita história de amor vivida em pleno cenário de guerra em Angola ou até no facto de ser uma anti-epopeia na qual são cantados os sofrimentos e as resistências do povo do campo.

Sim, é verdade, mas o que realmente sempre me fascinou neste romance é a forma criativa e real que Pepetela adoptou, através de uma divertida miríade de termos e costumes tradicionais africanos, para fazer reviver os velhos mitos angolanos.

E é nesta linha de pensamento antropológico que vemos despontar a singular figura totémica do cágado velho, símbolo do poder e do tempo angolanos.

Simplesmente genial !

Sem comentários: