quarta-feira, 5 de março de 2008

" Sputnik, Meu Amor "


Impulsionados pelo seu enfeitiçador registo literário, somos poeticamente conduzidos por Haruki Murakami pelo percurso sinuoso do amor impossível, da incerteza da paixão humana, da demanda de algo inatingível.

Conciliando uma escrita madura e linear com personagens densas que compõem o triângulo amoroso deste romance, sentimo-nos desde logo envolvidos por um enredo marcado pelo mistério, por espíritos que demarcam-se do corpo vagueando noutras dimensões, por uma magnetizante miscelânea entre a realidade e a fantasia, a veracidade e o fantástico, o real e o imaginário.

O seu enigmático final em aberto proporciona a cada um de nós, leitores, uma rara oportunidade de " dar asas à imaginação " criando nas nossas mentes " aquele desenlace " que melhor se coadunará com a leitura que cada um fez da obra !

4 comentários:

beta disse...

Não o li ainda.

Do escritor li, "Norwegen Woods", "Kafka à Beira Mar" e "Crónicas do Passaro de Corda".

Tenciono ler este também, claro.

Acho a escrita deste senhor divinal!

Canochinha disse...

Mais um que tenho e ainda não li. Mas o "Kafka à Beira-Mar" foi dos livros que mais gostei de ler no ano passado.

Butterfly disse...

Também já li várias obras do Murakami ( " Crónica do Pássaro de Corda ", " Em Busca do Carneiro Selvagem ", " Norwegian Wood ", "Sputnik, Meu Amor " )mas sem dúvida que o " Kafka à Beira Mar " é um dos meus livros favoritos.

A escrita dele é simplesmente viciante ... o " Sputnik, Meu Amor " foi o primeiro que li e depois não consegui parar até ler os restantes ! ;)

Só me falta o "Dança, Dança, Dança"!

miGuel pesTana disse...

Este foi o romance da minha estreia na leitura de Murakami. Simplesmente adorei. Nunca tinha lido nada deste tipo. Ele é unico sem duvida.