quinta-feira, 15 de maio de 2008

" Lia muito. Mas também no que respeita à leitura, sabes como é ... só consegues tirar alguma coisa dos livros se fores capaz de pôr algo de teu no que estás a ler. Quer dizer, só se te entregares à leitura como a um duelo, como quem se mostra disposto a ferir e ser ferido, a polemicar, a convencer e ser convencido, e, depois, enriquecido com o que tirou dos livros, disso se serve para construir qualquer coisa na vida ou no trabalho ... "


" ... Houve um tempo em que a leitura era para mim uma autêntica experiência, o meu coração cavalgava quando tinha nas mãos um livro recém-saído de escritores que eu conhecia, um novo livro era como um encontro, uma companhia arriscada de que podíamos tirar grandes emoções, coisas boas, mas, igualmente, consequências inquietantes e dolorosas. "

Sándor Márai in " A mulher certa"

1 comentário:

Pedro disse...

Ler...

=) Falando como um viciado em livros, cada livro é uma experiência. Cada vez que pego num livro, que vejo as letras, que acaricio a capa, que sinto o seu peso, que cheiro... Sinto-me bem. Sinto que vou embarcar numa aventura.

Pois é, vermo-nos no livro ajuda para o percebermos. Um livro são páginas em que nos embrenhamos numa viagem onde nos entregamos à correnteza das palavras e à nossa mente...

O último parágrafo é uma descrição que eu próprio faria. Mas, para mim, esse tempo que houve ainda há. =D