terça-feira, 29 de julho de 2008

Comecei hoje a ler ...


" Isto não é um romance. Nem um conto. Isto é uma história. Começa com um homem que dá a volta ao mundo, e acaba num lago onde se deixa ficar, num dia de vento. O homem chama-se Hervé Joncour. O lago não se sabe.

Poder-se-ia dizer que é uma história de amor. Mas se fosse apenas isso, não teria valido a pena contá-la. Tem a ver com desejos, e dores, que se sabe muito bem o que são, mas um nome verdadeiro para os dizer, não há. De qualquer forma não é amor - isto é algo de antigo quando não há um nome para dizer as coisas, então usam-se histórias. Funciona assim. Há séculos. Todas as histórias têm a sua música própria. Esta tem uma música branca. É importante dizê-lo porque a música branca é uma música estranha, às vezes desconcertante: toca-se baixinho e dança-se devagar. Qunado bem tocada, é como ouvir tocar o silêncio, e os que a dançam como deuses parecem imóveis ao olhar. É algo sobremodo difícil, a música branca.

Mais a acrescentar, não há. Convirá porventura esclarecer que se trata de uma história oitocentista: apenas para que ninguém esteja à espera de aviões, máquinas de lavar e psicanalistas. Não os há. Talvez noutra ocasião. "


Alessandro Baricco in "Seda"

2 comentários:

Pedro disse...

Este livro não foi adaptado para cinema?

Não conhecia, mas resta-me esperar pela tua opinião.

Butterfly disse...

Não tenho a certeza, mas penso que sim, que foi adaptado para o cinema!

Digo-te já que estou a gostar bastante do livro, é invulgar ... por isso, amanhã vou dar um pulinho à Blockbuster e "averiguar" se já terá saído em DVD !

Bjinhos e Boas Leituras !