terça-feira, 12 de agosto de 2008


" O Sol está doce, convidando ao sono. Fecha o livro, vira-se no canapé, põe os óculos escuros, duas pequenas lentes redondas escondem-lhe os olhos. Pega num chapéu preto de abas largas e pousa-o sobre a cara, só ouve o ruído da ondulação.
As ondas invadem a praia, mas antes de terem tempo para se retirarem são engolidas com um suave som de sucção pelos grãos de areia, abandonando aqui e acolá marcas de espuma amareladas. "

Gao Xingjian in " Uma cana de pesca para o meu avô "

Sem comentários: