quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Serra de Sintra


« Serra de Sintra, em ti se iam pousando
Os olhos dos mareantes que abalavam,
E só por fim ao longe adivinhavam
A pátria entre neblinas ondeando.

Pedras sagradas, foi-vos desgastando
O olhar de tantos olhos que choravam;
Foste o adeus de todos que ficavam,
E a saudade de outros, navegando.

Em ti, Serra Marítima e da Lua
Paira a Saudade como a maresia,
Mágoa de amor tão alta e tão serena.

E quem depois voltava à pátria sua,
Ao mesmo tempo lá das ondas via
Terra de Portugal e sua pena ... »

Afonso Lopes Vieira
Ilhas de Bruma, 1917

1 comentário:

Pedro disse...

Serra de Sintra.

Encantadora, e mágica. Um dos locais mais belos que conheço.