terça-feira, 4 de novembro de 2008

Comecei hoje a ler ...

" Um canto da Europa do século XIX.
Uma pequena cidade imaginária e verosímil. Os sonhos do senhor Rail e os lábios da senhora Rail. A fábula dos primeiros comboios. Um homem que ouve o infinito. Uma criança que traz em cima de si o seu destino. A magia de Crystal Palace, imensa construção de vidro. A vida singular de Hector Horeau, arquitecto genial e perdido.
Um microcosmos de personagens invulgares, todas elas com um denominador comum: a capacidade de sonhar, de ultrapassar uma realidade pequena, para viver noutra dimensão: a do sonho, da música, da poesia.
Tudo isto num livro construído com uma estrutura e uma escrita espectaculares.
Um livro que devolve o prazer de escutar Grandes Contos e a confiança de ainda os poder contar.
O romance que, em 1991, marcou a estreia de Alessandro Baricco. "

Sem comentários: