terça-feira, 18 de novembro de 2008

Li "Castelos de Raiva" e ...

"Castelos de Raiva" ... primeiro romance de Alessandro Baricco, aquele que, em 1991, marcou a sua estreia como escritor !

Um livro belíssimo que renova a nossa alma e deslumbra-nos pela sua perfeição ! Uma verdadeira sinfonia de enredos carregados de múltiplos sentidos, constituindo por isso uma ode à diversidade, à heterogeneidade. Obra muito fantasiosa, quase que a transbordar de criatividade e musicalidade.

Romance subtil e cheio de surpresas onde tudo gira em torno do sonho, como se este bastasse, numa cidade onde não encontra qualquer tipo de obstáculos ou limitações. Quinnipak, cidade sem tempo e sem lugar, onde o desejo se sobrepõe à razão. Ali, o sonho alimenta sonhos, utopias que raiam a loucura e personagens surreais passeiam pelas páginas do livro sem que alguma vez sejam desacreditadas ! Apenas para levantar um pouco a ponta do véu, deixo-vos aqui alguns exemplos muito criativos de sonhadores:

- Pekisch, personagem que sabia ver os sons e as cores de que são feitos os ruídos, cientista de estranhos inventos, tais como: um surreal auto-auscultador ( tubo por onde as palavras sobem e descem, permitindo às pessoas escutarem a sua própria voz ) e um não menos original humanófono ( espécie de órgão no qual em lugar das canas estavam pessoas, em que cada uma emitia uma nota e uma só: a sua nota pessoal );

- Hector Horeau, arquitecto genial que cultivava uma ideia bastante precisa: « o mundo resultaria sem dúvida muito melhor se se começassem a construir casas e palácios não de pedra, nem de tijolo, nem de mármore, mas sim de vidro. Perseguia afincadamente a hipótese de cidades transparentes ».
Daí até à idealização do "Crystal Palace", palácio de vidro e oitava maravilha do mundo, concebida para hospedar a memorável Grande Exposição Universal dos Produtos da Técnica e da Indústria, foi apenas um passo !

"Castelos de Raiva ?!? Não ... diria antes, Castelos de Sonhos ! ;)
E, tal como diz Fernando Pessoa, «O Homem é do tamanho do seu sonho».

Sem comentários: