sexta-feira, 7 de novembro de 2008

" Os meus negócios não íam grande coisa: eram de facto um sistema um bocado arcaico. O mundo entretanto tinha evoluído, a indústria da indiferença tinha-se desenvolvido bastante, o comércio da mentira e da traição tinha-se generalizado, a mais-valia era agora muito moderadamente canalizada para capitalizar o ódio e o desprezo, enfim o mundo tinha dado um grande passo em frente, e eu sentia-me a falir. Já ninguém me queria comprar sonhos, nem acreditava mais em ilusões. O sonho impossível, que eu tinha comprado a um monge tibetano empregando nesse negócio todas as minhas reservas, não era já de todo negociável. Tinha de ficar eu com ele. "

José Manuel Arrobas em " A Decadência Do Sonho "

Sem comentários: