sábado, 6 de dezembro de 2008

Diário de Adão
" Construí um abrigo contra a chuva para mim, mas não pude sequer gozá-lo em paz. O novo ser intrometeu-se. ( ... ) Eu preferia que não falasse. Está sempre a falar ! Isto pode parecer um golpe baixo contra o pobre coitado, uma injúria; mas não é nada disso. Eu nunca ouvi a voz humana antes e qualquer som estranho e novo irrompendo aqui, na solene pacatez destas solidões de sonho, ofende os meus ouvidos e soa como uma nota artificial. E este novo som irrompe sempre tão perto de mim, vem sempre detrás do meu ombro, direito ao meu ouvido. Primeiro de um lado, depois do outro ... e eu estou habituado a sons que estão sempre mais ou menos distantes de mim. "

Diário de Eva
" Quando eu descobri que ele podia falar encontrei um novo interesse por ele porque eu adoro falar; falo a todo o instante, durante o sono, e consigo ser muito interessante, mas se eu tiver alguém mais com quem falar eu posso ser duplamente mais interessante, e acho que nunca mais parava, se eu quisesse. "

Sem comentários: