segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Mar Sonoro


" Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momento há em que suponho
Seres um milagre criado só para mim. "

Sophia de Mello Breyner Andresen

3 comentários:

Nélida Capela disse...

Adoro Sophia, cá no Brasil, a Cia. das Letras editou um volume com a obra poética. Esgotou rapidamente. Mas conheci mesmo a poesia de Sophia quando era estagiária na Biblioteca Nacional, na Revista Poesia Sempre.Como tenho descendência portuguesa e argentina, não deixo de mirar para o Mar Português.

Pedro disse...

Fiquei completamente apaixonado pela imagem! =O Tão bela... Aquelas ondas...

Quanto a Sophia de Mello Breyner, são versos únicos, como costumo dizer são ondas de um mar que navega dentro dela.

Butterfly disse...

Imaginem-se sentados numa bela praia, a ler a poesia de Sophia de Mello Breyner !
Embalados pela música do mar, pelo som da espuma, pelos beijos salgados das ondas que fugazmente acariciam os solitários grãos de areia ...

Bjinhos ... vou continuar a sonhar ! ;)