sábado, 3 de janeiro de 2009

" Anita disse que se podiam dividir as regiões do mundo segundo o tipo de gordura ou óleo que os seus habitantes utilizam nas respectivas cozinhas. A Europa do Norte, por exemplo, era uma cultura baseada na manteiga; a Europa do Sul, da Provence para baixo, era baseada no azeite. No Brasil e em grande parte da África subsahariana cozinhavam com óleo de palma, enquanto muitos povos do Médio Oriente utilizavam as bolsas de banha existentes na cauda das ovelhas. Em certas extremidades do globo, como o Norte do Canadá, usavam-se outras gorduras animais - de baleia, por exemplo. Ora bem, segundo a Anita, estes diferentes óleos afectam a personalidade. Os que comem manteiga tendem a ser sexualmente puritanos, impassíveis, trabalhadores e responsáveis. Os que usam azeite são mais gregários e sexualmente libertos, mas decididamente pouco fiáveis. E por aí a fora ... Esta teoria também tinha implicações para os conflitos étnicos, como continuou ela a explicar. Por exemplo, os da manteiga e do azeite podiam coexistir relativamente bem. Os do azeite e da banha de ovelha também tendiam a coabitar em paz. Mas quanto aos da manteiga e da banha de ovelha, nunca poderíamos esperar que se dessem bem. Nem os do óleo de palma e os da manteiga. Não tinha tirado conclusões específicas sobre as combinações adequadas para os que cozinhavam com gordura de baleia. - Os povos árcticos tendem a ficar sempre no mesmo sítio - explicou. - Por isso temos poucas provas sobre as misturas que podem fazer. "

Richard Zimler in "Aprender a Amar"

Sem comentários: