sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Li "Os Novos Mistérios de Sintra" e ...

O título do livro foi motivo mais do que suficiente para decidir-me a levá-lo para casa.
Mistérios ... Sintra ... Quinta da Regaleira ... Maçonaria ... Templários ... algo me dizia que esperavam-me momentos de leitura misticamente agradáveis.
Aliado à minha paixão por Sintra e por tudo aquilo que transpire esoterismo, juntou-se uma natural curiosidade pelo tipo de enredo colectivo que havia sido criado.

O desafio era simples e afigurava-se bastante interessante: sete escritores reuniam-se com o intuito de conceber uma história de mistério envolvendo Sintra e um tesouro antiquíssimo. Ou seja, um autor começava e o outro que se seguia tinha que dar continuidade ao capítulo.

Todavia, o resultado revelou-se uma verdadeira desilusão, pelo menos para mim.
Foi notória a inexistência de um padrão de coerência indispensável a este género de projecto.
A cada capítulo surgiam temas novos, por vezes sem qualquer tipo de relação com os anteriores. Eram acrescentados pormenores ou elementos completamente diferentes, talvez de acordo com simpatias ou tendências de cada um.
Confesso que não foram poucas as alturas em que tive de retroceder páginas e reler excertos, de forma a conseguir entender minimamente a lógica daquela continuidade !

É uma pena, pois perante a inegualável qualidade dos escritores envolvidos e a criatividade inerente a este género de exercício, o resultado poderia ter sido bastante mais interessante !

2 comentários:

Pedro disse...

Pois =/ Não és a primeira a ter essa opinião. Ainda estou na indecisão, lerei ou não? =S

Butterfly disse...

Pedro, não te posso ajudar quanto a essa indecisão ! De qualquer forma, pode ser que até venhas a ter uma opinião completamente diferente sobre o livro !

Bjinhos