quinta-feira, 26 de março de 2009

" Kierkegaard dizia que algumas pessoas têm duplo desespero, isto é, estão desesperadas, mas nem o sabem. Você deve estar nesse desespero duplo. Quero dizer o seguinte: grande parte do sofrimento duma pessoa vem por sentir desejo, realizá-lo, ter um instante de saciedade que logo se transforma em tédio e, por sua vez, é interrompido pelo surgimento de outro desejo. Schopenhauer considerava que era essa a condição humana universal: desejar, saciar-se, entediar-se e desejar outra vez. "

Irvin D. Yalom in "A Cura de Schopenhauer"

2 comentários:

Carlos Pereira Jr disse...

Belo comentário sobre os cotidianos exercicios ou jogos entre os significados e o ilegivel do real que nos definem em humanos pensamentos!
Um ótimo fds!

Dreamfinder disse...

Gostei do excerto e da imagem ;)