domingo, 21 de junho de 2009

" Aliás a vida não corre bem como imaginamos. Segue o seu caminho. E nós o nosso. E não é o mesmo caminho. ( ... ) Mas percebi tarde demais para que lado era preciso ir: para o lado dos desejos. Esperamos que sejam outras as coisas que nos salvam: o dever, a honestidade, sermos bons, sermos justos. Nada disso, são os desejos que nos salvam. São a única coisa verdadeira. Estando com eles, salvamo-nos. Mas era demasiado tarde quando percebi. Se lhe dermos tempo, a vida dá umas voltas estranhas, inexoráveis: então apercebemo-nos de ter chegado a um ponto tal que já não podemos desejar algo sem nos magoarmos. É então que tudo se baralha, não há maneira de escapar, quanto mais nos agitamos, mais a rede se embrulha, quanto mais nos revoltamos, mais nos ferimos. "

Alessandro Baricco in "Oceano Mar"

Sem comentários: