sexta-feira, 26 de junho de 2009

Li "Oceano Mar" e ...

Dividido em três partes, "Oceano Mar" leva-nos a viajar por um clima surreal, imbuído de personalidades extremamente particulares.
Numa terra distante que apresenta o carácter vago de um reino de fantasia, mas a intensidade de um sonho, deparei-me com um grupo de individualidades excêntricas que exige de nós, leitores, uma entrega à imaginação e ao mundo aqui criado por Baricco. Um mundo onde o oceano é o princípio e o fim de tudo.

Descobri personagens cujos destinos interagem como que por magia e que ora se escondem, ora se descobrem. Bartleboom, o professor que escreve cartas de amor à mulher da sua vida, que ainda não encontrou; Plasson, o pintor que procura o início do mar; Elisewin, a pobre menina rica que, doente, sai do castelo para conhecer o poder curativo do oceano; Adams, o náufrago, jardineiro preso em si mesmo e nas suas memórias; e ainda tantos outros que procuram o seu caminho, um caminho que nem sempre se escreve da forma esperada.
Pessoalmente, gostei bastante de Plasson, pintor que pinta o mar com o mar e Bartleboom, que viajou até à Estalagem Almayer com o objectivo de pesquisar o exacto ponto onde o mar acaba de forma a perpetuar as suas conclusões na Enciclopédia dos Limites que está a escrever.

Neste romance, o autor hipnotizou-me com uma fábula pós-moderna da doença humana nas suas diversas vertentes - psicológica, existencial, erótica - apresentando-nos o oceano com uma função de entrega e recuperação da nossa mais íntima essência.

À medida que vou lendo as suas obras, Alessandro Baricco torna-se um dos meus escritores preferidos. Adoro a forma poética como escreve as suas histórias. Por vezes, as suas palavras ou o sentido por detrás dos seus versos não são fáceis de captar ou até o fio condutor da narrativa pode parecer confuso, mas no final fico com aquela sensação de ter lido um dos mais mágicos textos de sempre.

( 19º livro lido em 2009 ... 4793 páginas lidas )

2 comentários:

Ditavora disse...

eu sou fa do alessando barico li esse livro ha uns anos e adorei queria compra lo mas nao encontro em lado nenhum. Onde e que o compraste?

Fernanda Colares disse...

Eu acabo de voltar da Italia, depois de ter morado um ano lá, onde conheci a obra de Baricco. Deixei um amor, e foi esse amor que me presenteou este livro. O engraçado é que o livro, extremamente poético, nos lê. Não somos nós que o lemos, é ele que nos lê na vida dos personagens.
Como Bartebloom a Dira, o meu amado me perguntou a idade da primeira vez que me viu. E como Elisewin, eu, de frágil, me fiz forte.
"Oceano Mar" é o livro da minha vida.