domingo, 21 de junho de 2009



" Sabia que Adams era um homem desfeito pela sua própria vida. Imaginava a alma dele como uma pacata aldeia saqueada e dispersada pela invasão selvagem de uma vertiginosa quantidade de imagens, sensações, cheiros, sons, dores, palavras. A morte que simulava, ao vê-lo, era o resultado paradoxal de uma vida explodida. Um caos irrefreável era aquilo que crepitava sob o seu mutismo e a sua imobilidade. "

Alessandro Baricco in "Oceano Mar"

Sem comentários: