quarta-feira, 29 de julho de 2009

Li "Sinto Muito" de Nuno Lobo Antunes e ...

Sinopse

«Há no médico o desejo de ser santo, de ser maior. Mas na sua memória transporta,como um fardo, olhares, sons, cheiros e tudo o que o lembra de ser menor e imperfeito. Este é um livro de confissões. Uma peregrinação interior em que a bailarina torce o pé, o saltador derruba a barra, o arquitecto se senta debaixo da abóbada, e no fim, ela desaba. O médico e o seu doente são um só, face dupla da mesma moeda. O médico provoca o Criador, não lhe vai na finta, evita o engodo. Mas no cais despede-se, e pede perdão por não ter sido parceiro para tal desafio.»

Recorrendo a uma escrita simples, intimista e pouco cerebral, Nuno Lobo Antunes leva-nos a viajar pelo interior do coração de um médico que sofre a dor com os seus pacientes.
Fruto da sua especialidade clínica ( neuro - oncologia pediátrica ), os temas tratados neste livro são tudo menos agradáveis - crianças e doenças terminais são, por natureza, quase incompatíveis, mas o autor consegue sempre extrair destas terríveis histórias de vida e morte um ensinamento ou uma reflexão que permite ao leitor encarar a tragédia com outros olhos.
Os textos desta obra, que remetem tantas vezes para a morte e que revelam uma combinação perfeita de objectividade clínica com sensibilidade artística, fazem-nos pensar no valor incalculável da vida, na sorte que temos de estar aqui e agora ...

( 26º livro lido em 2009 ... 6279 páginas lidas )

3 comentários:

K disse...

B,

duas notas:
1) não sendo médico, sofro de mal parecido com os Amigos, tomo um pouco as suas dores... e há dias como o de hoje que nos custa ver os Amigos sofrer... com a falsidade de alguns...

2) Adoro a frase que escolheram para a capa... «Vida é tempo entre parentesis»

Bj

Olavo disse...

Neste mês de agosto o blog esta em comemoração
E te convido a partipar durante todo o mês com a gente..
E para começar tem selo comemorativo lá no blog..
Abraço.

Dreamfinder disse...

Adorei!!! Lindo, profundo, relata uma história de vida dada aos outros. Magnífico.