sexta-feira, 3 de julho de 2009

Li "A Viagem do Elefante" e ...

O livro descreve a viagem simultaneamente épica, prosaica e jovial, de um elefante asiático chamado Salomão, que, no Séc XVI, por alguns caprichos reais e absurdos desígnios teve de percorrer mais de metade da Europa.
Além de Salomão também entra outro personagem chave na história que é o seu tratador ou "cornaca", o indiano Subhro, o qual funciona como elo de ligação entre o elefante, os restantes intervenientes no enredo e a acção propriamente dita.

A narrativa, considerada pelo seu autor como uma metáfora da vida humana, serve apenas como pano de fundo para que este exercite o seu mais fino humor e mordaz ironia relativamente à burocracia de Estado, corrupção intrínseca dos indivíduos e questões religiosas.

José Saramago é mesmo um monstro sagrado da literatura. Apesar da falta de pontuação assustar um pouco a princípio, o seu estilo de escrita é uma arte por si só, independentemente do enredo. Aliás, esses, pelo menos nos poucos livros que li dele ( "Jangada de Pedra" e "Ensaio sobre a Cegueira" ) são assustadoramente incomuns.

( 20º livro lido em 2009 ... 5051 páginas lidas )

7 comentários:

Paula disse...

Este foi o único livro que consegui ler de Saramago. Mas vou dar uma segunda oportunidade aos outros ;)
Abraços

Nocturna disse...

Um belo livro de José Saramago. Talvez o menos "saramaguiano" dos seus romances, mas onde está toda a beleza da sua escrita.
Sei que em Novembro teremos novo romance.

Olavo disse...

Não conheço..procurar conhecer..

Otimo final de semana
Beijos

Susana disse...

Olá! sabia que neste momento saramago anda a fazer um percurso às terras que fala no livro?
na semana passada esteve em terras como Cidadelhe, castelo Rodrigo e Castelo Novo, numa viagem do elefante pelo mundo

Confere o blogue o blogue oficial de Saramago (conhece?):http://aviagemdoelefante.wordpress.com/

O livro ainda não tive o przer de ler, mas com certeza que será o próximo da minha lista de espera.

Abraço, Susana

Patricia disse...

De Saramago ainda só tive a oportunidade de ler as Intermitências da Morte, que é completamente genial! Assim que possível hei-de dar uma oportunidade aos outros :-)

K disse...

Para a Nocturna...
o estado debilitado de Saramago pode ter condicionado a sua escrita, de forma a que caracterize o livro como o menos "saramaguiano"...

Para a Butterfly... tu a leres, eu sem dormir... quase o mesmo número de horas ;)
Fantástico! ;)
Aconselho «As intermitências da morte»... Queres que te arranje?

Bj

Dreamfinder disse...

Concordo totalmente com a descrição que fazes do autor. As suas histórias prendem-nos exactamente por esses dois motivos: pela sua originalidade "assustadora" e porque querem dizer sempre muito mais do que aquilo que dizem. A ironia e o sarcasmo sempre presentes, as lições aqui e acolá e a própria ausência de alguma pontuação dão espaço ao leitor para compreender as mensagens ocultas, as críticas gritantes. Casa livro de Saramago é uma enorme metáfora à espera de ser desbravada. E temos muito a aprender com elas. Ainda não li este último livro, mas estou particularmente curiosa. Bjs