sábado, 8 de agosto de 2009

Li "O Triunfo dos Porcos" de George Orwell e ...

« Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros. »

Recorrendo à sua característica marca pessoal de mordacidade e perspicácia, George Orwell apresenta-nos uma genial fábula política na qual são apresentados todos os perigos dos regimes totalitários, através de uma alegoria bastante original: um grupo de animais, liderado pelos porcos, revolta-se numa quinta governada pelos humanos e, tomando as rédeas do poder, funda o Animalismo. Esta corrente ideológica que, seguindo o exemplo de tantas outras, começa como uma grande ideia cheia de nobres valores e intenções, acaba por servir como meio de favorecer os mais fortes, violando todos os princípios a que se tinha proposto.

Através deste romance alegórico, o escritor pretende não só demonstrar como o idealismo foi traído pelo desejo de poder e pela corrupção e mentira, mas também condenar o totalitarismo, a Revolução Russa de 1917 e a Rússia de Estaline.

Adorei este livro e considero-o de leitura obrigatória para a percepção das características humanas que contaminam todo e qualquer processo de acção colectiva baseada na inveja e no apreço pelo controlo, alicerçado nos 'seres inferiores'.

Efectivamente, uma das perguntas que se impõe no final da obra e que faz-nos reflectir é ... Haverá algum projecto de sociedade que não tenda para a concentração de poderes ?

( 32º livro lido em 2009 ... 7651 páginas lidas )

2 comentários:

Dreamfinder disse...

Parece realmente uma excelente fábula... Ainda hoje me sugeriram um outro livro deste autor: "Mil novecentos e oitenta e quatro". Será, sem dúvida, uma das minhas leituras próximas. Bj

Paula disse...

Bastante interessante.
Abraço!