domingo, 17 de outubro de 2010

Li "Comer Orar Amar" de Elizabeth Gilbert e ...

Sinopse:
"Aos trinta anos, Elizabeth Gilbert tinha um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso - tudo aquilo que uma mulher pode desejar. Ou talvez não ...
Decide deixar tudo para trás e, depois de uma arrasadora crise existencial e de um divórcio difícil, parte à aventura.
Dividida entre o desejo de prazeres mundanos e a aspiração a uma transcendência divina, experimenta as delícias da dolce vita em Itália e o rigor ascético na Índia.
Na Indonésia, procura a equilíbrio e encontra o amor.
O relato desses doze meses de viagem constitui um mosaico de emoções e experiências culturais, recheado de personagens envolventes, descrições vívidas e histórias apaixonantes."


A minha opinião:
O livro consiste nas memórias da autora que viajou por 3 países - Itália, Índia e Indonésia - por um ano para tentar se reencontrar, reestabelecer-se e renovar-se como pessoa.
Decidiu rumar a Itália para sentir prazer através da comida e para aprender italiano, idioma pelo qual sempre se sentiu atraída.
Na Índia concentrou-se na sua espiritualidade, praticando meditação e procurando um auto-conhecimento mais profundo.
Em Bali, na Indonésia, conseguiu equilibrar o prazer sensual e a transcendência divina, tendo encontrado o verdadeiro amor.

Nesta demanda espiritual de Elizabeth Gilbert ( e neste ponto identifico-me imenso com ela ), a própria define-se como uma pessoa na fronteira de dois mundos, e passa de uma forma muito clara a mensagem duma possibilidade real, a de conciliar o melhor dos dois enquanto mergulhados na viagem ao interior de nós mesmos.

Na obra, conseguimos vislumbrar claramente que o fio condutor da narrativa baseia-se na Regra da Física da Procura.
Esta consiste no facto de que, se formos corajosos o suficiente para deixarmos para trás tudo o que nos é familiar e reconfortante ( que pode ser algo como a nossa casa a um velho e amargo ressentimento ) e partirmos numa viagem em busca da verdade, se estivermos sinceramente dispostos a ver tudo o que nos vai acontecer durante essa viagem como um ensinamento, e se aceitarmos cada um que encontrarmos durante a mesma como um mestre, e se estivermos acima de tudo preparados para encarar e perdoar algumas realidades desagradáveis a nosso respeito, então a verdade não nos será ocultada.

Enfim, na minha opinião, aquelas pessoas que procuram entender a vida, entenderem-se a si próprias, reflectirem sobre a existência e vivem numa profunda busca espiritual, identificar-se-ão profundamente com este livro, como foi o meu caso ! ;)

( 43º livro lido em 2010 ... 9081 páginas lidas )

Sem comentários: