domingo, 20 de março de 2011

Li "Knulp" de Hermann Hesse e ...

Sinopse:
"Knulp narra três momentos da vida de Karl Eberhard Knulp, um homem alegre e conversador que, nas suas caminhadas por uma Alemanha rural, quase desconhecida, vive a transição para a vida adulta. Knulp é um poeta popular, um aprendiz que nunca chegou a estabelecer-se para exercer pacata e ordeiramente a profissão. Após o longo tempo em que se mantém à margem da chamada «vida normal», sempre em busca do sentido da amizade, do amor e da sua própria existência, é-lhe possibilitada uma compreensão mais íntima da natureza e do essencial, quando então contempla o passado e aquilo que poderia ter sido de si."


A minha opinião:
O romance, que assume a forma de três contos, centra-se na personagem de Knulp, um caminhante do mundo que continuamente vagueia e que recusa prender-se a qualquer espécie de lugar, trabalho ou pessoa.

Uma história encantadora sobre os sentimentos contraditórios de alegria e tristeza quando se é "boémio" na vida e de alma.

Enfim, mais uma "pequena obra-prima" de Hermann Hesse, imbuída de sabedoria e ensinamentos humanos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Você conseguiu sintetizar muito bem a idéia que o livro traz. Agradeço, pois aprecio tanto esta obra - bem como toda a obra do autor - que muitas vezes não soube como descrevê-la, senão com alguns pormenores ou adjetivos qualificando-a. Knulp, infelizmente no meu círculo de amigos é uma obra desconhecida ainda. Que pena!

Gabriel P. Thiesen

vinicius disse...

caros,

é um livro que estou relendo. um dos trechos mais emocionantes é quando knulp perambula com seu amigo e narra um sonho, onde o protagonista volta à terra paterna, à casa, reencontra as namoradas e inicialmente ninguém o reconhece, tudo se desmancha...daí, o sonho se transforma e as coisas vão tomando as feições familiares.
logo em seguida, ele explica filosofando que a vida é assim, cada pessoa carrega sua alma que é como uma raiz, impossível de se crescer em outro lugar, pessoa ou situação. algo extremamente inerente à pessoa.
o interessante é que knulp é um desleixado, um palhaço e quando é tomado de seriedade, surpreende a todos!