terça-feira, 12 de julho de 2011

" ... possuía um espírito sonhador com vontade de escrever contos, uma nostalgia constante que pretendia ligar a insignificante vida diária à grandiosa vida que é apresentada em canções e pinturas, em belos livros e nas tempestades que ressoam nos bosques e nos mares. Não a contentava a ideia de que uma flor fosse apenas uma flor, que um passeio fosse apenas isso mesmo. A flor deveria ser uma sílfide, um espírito dotado de beleza e sujeito a uma metamorfose igualmente bela, ao passo que um passeio não seria um mero exercício físico praticado por obrigação ou com intuitos recreativos, era antes uma apreensiva viagem em busca do desconhecido, um contacto com o vento e os ribeiros, uma conversa com as coisas mudas."

Hermann Hesse in "Música"


Sem comentários: