segunda-feira, 4 de julho de 2011

"E um jovem disse,
Fala-nos da Amizade.
E ele respondeu, dizendo:

O vosso amigo é a resposta às vossas necessidades.
Ele é o campo que cultivais com amor e colheis com gratidão.
E é o vosso apoio e o vosso abrigo.
Pois ides até ele com fome e procurai-lo para terdes paz.

Quando o vosso amigo fala livremente, vós não receias o «não»,
nem retendes o «não».
E quando ele está calado o vosso coração não deixa de ouvir o
coração dele;
Pois na amizade, todos os pensamentos, todos os desejos, todas
as esperanças nascem e são partilhadas sem palavras, com
alegria.
Quando vos separais de um amigo não fiqueis em dor,
Pois aquilo que mais amais nele tornar-se-á mais claro com a
sua ausência, tal como a montanha, para quem a escala, é mais
nítida vista da planície.
E não deixeis que haja outro propósito na amizade que não o
aprofundamento do espírito.
Pois o amor que só procura a revelação do seu próprio mistério,
não é amor mas uma rede lançada que só apanha o que não é
essencial.

E deixai que o que de melhor há em vós seja para o vosso
amigo.
Já que ele tem de conhecer o refluxo da vossa maré, que
conheça também o seu fluxo.
Pois para que serve o vosso amigo se só o procurais para matar
o tempo ?
Procurai-o também para viver.
Pois ele preencher-vos-à os desejos, mas não o vazio.
E na doçura da amizade que haja alegria e a partilha de prazeres.
Pois é nas pequenas coisas que o coração encontra a frescura da
sua manhã."

Kahlil Gibran in "O Profeta"

Sem comentários: