sábado, 23 de julho de 2011

"Primavera
Farrapos de névoa cobrem os campos e as colinas. Os dias são longos, comparados com os do inverno, e o vento menos cortante. Quando sobrevém a primavera, as águas nos vales, assim como as cotovias no céu azul, os pássaros nos bosques e as rãs - essa tribo solene e estridente - enchem o ar de cantos joviais.
( ... )

Verão
O calor do dia e a frescura do entardecer são coisas simples e elementares, mas é ilimitada a poesia que nelas reside. O mesmo se passa com a chuva, pesada e monótona, e que no entanto transfigura tudo, mesmo o coração do homem.
( ... )

Outono
O outono não se caracteriza apenas pela queda das folhas, mas também pelo declínio das forças vitais de todos os seres, incluindo o homem.
A Via Láctea torna-se mais nítida. Todavia é a lua a alma desta estação. Na sua remota proximidade adensa o mistério da nossa existência.
( ... )

Inverno
O inverno é a estação do frio; não só o frio que enregela os animais, mas também o frio de cujo significado profundo e interior nos apercebemos apenas em raros momentos de medo ou de solidão.
... a poesia do inverno é sobretudo a poesia da imobilidade e do silêncio."

Matsuo Bashô in "O Gosto Solitário do Orvalho"

Sem comentários: