sábado, 19 de novembro de 2011

Razão tinha Shakespeare quando escreveu no Mercador de Veneza: "O homem que não tem música dentro de si nem se comove com a concórdia de sons melodiosos está destinado às prisões, estratagemas e rapinas. Os movimentos da sua alma são baços como a noite e as suas afeições escuras como as trevas do Inferno. Que ninguém confie em semelhante homem."

Sem comentários: