quarta-feira, 18 de abril de 2012

De Uma Noite de Tempestade

"A noite, agitada por crescentes tempestades,
como se torna subitamente imensa -,
como se habitualmente estivesse recolhida
nas ínfimas dobras do tempo.
Não acaba onde as estrelas tentam detê-la
nem começa no meio da floresta,
nem no meu semblante
nem na tua forma.
Os candeeiros balbuciam e não sabem:
mentimos luz?
É a noite a única realidade
desde há milhares de anos ..."

Rainer Maria Rilke  em "O Livro das Imagens"

Sem comentários: