terça-feira, 8 de maio de 2012

O Painel da Natureza

"Minha sorte foi brilhante,
Minha sorte é hoje triste;
Nestas mudanças consiste
A sorte de todo o amante:
Sumiu-se a Lua radiante,

Que estava em fulgor acesa;
Minha dor, minha tristeza
Com mil reflexões misturo,
Vendo ora claro, ora escuro
O painel da Natureza

O Olimpo, assustando a Terra,
Dando-lhe mortais desmaios,
Raios em cima de raios
Das entranhas desencerra:
Os elementos em guerra
Blasonam mútua braveza;
Neste horror, nesta graveza,
Que não cede, não se acalma.
É o quadro da minha alma
O painel da Natureza."

Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805)

Sem comentários: