domingo, 8 de julho de 2012

Poema

"Penso na repetição que
se verifica no movimento das marés
e das luas. Existem
ciclos, como círculos, que
são previsíveis e perfeitos. Mas,
apesar disso, têm
um mistério que nem os iniciados
resolvem. Por que terá tudo de ser
assim, desde a origem até ao
fim dos tempos? Não me respondes; nem
eu esperava que tivesses a resposta,
enquanto me enchias um copo,
de acordo com a lei da gravidade."

Nuno Júdice  em "Meditação sobre Ruínas" [1994]

Sem comentários: