terça-feira, 14 de maio de 2013

"Eu quero abrir um livro
que tivesse a luz do trigo
onde pudesse beijar os joelhos de lua
de uma plácida mulher
 
Ou nela contemplar
em plena noite
a vasta delicadeza das constelações
enquanto lavasse as mãos
entre as imagens das estrelas
numa celha de água fresca."
 
António Ramos Rosa  em "Meditações Metapoéticas"

Sem comentários: